A Capital do Mergulho Ecológico.
Costa Verde & Mar de Santa Catarina.

Conheça a rotina das Agentes de Desenvolvimento que trabalham na Sala do Empreendedor de Bombinhas

Foco é o atendimento ao microempreendedor

 

O programa Cidade Empreendedora, realizado pelo Sebrae/SC, em parceria com a Prefeitura desde o ano passado, tem o intuito de incentivar o crescimento da economia local através de diversas iniciativas e, para isto, conta com a atuação dos Agentes de Desenvolvimento. Em Bombinhas, as servidoras públicas Rafaela Pinheiro Ambrozio e Fernanda Sant'Ana Boeckmann, após passarem por treinamentos e capacitações, atuam no planejamento, execução e articulação das políticas para implementação da Lei Geral das micro e pequenas empresas no município, além de articularem a cidade em torno do desenvolvimento local. Ambas trabalham na Sala do Empreendedor, espaço este destinado para os atendimentos de abertura, formalização, orientações, parcelamentos de débitos com o DAS, declarações de imposto de renda para o MEI, alterações de atividades econômicas e de endereços. No local ainda são oferecidas regularmente capacitações aos empreendedores.
 
Como funciona o dia a dia de um agente de desenvolvimento?
R: O agente de desenvolvimento no seu dia a dia informa os futuros empreendedores sobre os procedimentos para a abertura de empresas, além de repassar ao público detalhes sobre emissão de alvarás, orientações quanto ao desenquadramento, caso tenha débitos federais e municipais e também sobre declaração de imposto (MEI), entre outros serviços que a Sala do Empreendedor oferece. 
Quais os principais desafios?
R: Um dos principais desafios que vemos aqui é poder trazer os empreendedores informais para  a Sala do Empreendedor, formalizá-los e capacitá-los com oficinas, palestras e orientações. É uma tarefa a longo prazo.
Qual a importância do AD para o desenvolvimento do município?
R:  O AD tem a importante tarefa de identificar e ajudar a fortalecimento dos potenciais segmentos econômicos do município, juntamente com entidades e associações do município. Além disso, fazer um bom atendimento e passar informações e orientações seguras ao microempreendedor.

Façam um balanço geral deste um ano e meio de atuação como AD?
R: Nesse período, foram feitas 11 oficinas, 5 consultorias individuais, salas itinerantes, capacitações e aperfeiçoamento nos atendimentos. Foram formalizados na Sala do Empreendedor, até este momento, 90 MEI's e 15 em andamento (consulta de viabilidade junto ao município). Fizemos mais de 3.000 atendimentos ao todo. Atualmente, os empreendedores formalizados ou não, tem um local para tirar dúvidas, obter informações sobre a formalização, deveres, obrigações e benefícios sendo MEI, sendo com a Receita ou com a Fazenda municipal. Com o passar do tempo, constatamos que muitos MEI's estão em situações de exclusão ou desenquadramento, sem saber, porque não tinham onde obter as informações e orientações necessárias, como por exemplo saber da obrigação do DAS, que é mensal, e que é importante estar em dia para poder receber os benefícios, caso precise.

Data de publicação: 02/10/2018 - às 13:45

Desenvolvido por